quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Bizarrice do REI no Especial de Natal


O pouco que assisti do tradicional Especial de Natal do cantor Roberto Carlos na Globo, uma cena bizarra, foi a do Rei fazendo aquele “batido” símbolo do coração com as mãos, numa reação aos aplausos do numeroso público que lotou a paria de Copacabana no Rio. Não vi tudo que rolou no show, mas talvez nada mais cafona que um astro das “antigas” fazendo aquele coraçãozinho a um público do seu tempo, que nada tem a ver com o sentido deste código. Nada contra, mas aquilo pra Rei, só se for pra REiSTART.
Na verdade, foi uma “forçação” de barra dos marketeiros, que certamente induziram o rei a uma situação deprimente, tanto que ele fazia aquilo na altura do umbigo, e transmitia certo incômodo ao fazê-lo. Ficou ridículo. Imagino que o Roberto tenha levado um tempo considerável para chegar àquela bizarrice.
Em questão, temos uma comunicação não verbal muito usado por garotões e gatinhas da modernidade para transmitirem sentimentos amorosos, mas o Rei Roberto Carlos não precisa disso, pois só a sua presença, seu carisma, sua simplicidade, sua forma natural e carinhosa de agradecimento, como sempre fez, além das letras que se eternizaram entre os nossos quarentões e até centenários seriam o suficiente para demonstrar seu apreço pelos fãs. Portanto desnecessário tal estratégia do nosso marketing moderno. O rei já tem seu público definido de conservadores.
Aliás, entre as novidades da atração neste ano, o Show de Roberto Carlos saiu do estúdio para uma arena. Também substituíram as cadeiras com gente famosa, fina e elegante por gente da plebe, desconhecidos que acompanharam a atração em pé. Público, inclusive em sua maioria formada por pessoas com mais de 40, mas era possível ver gente mais nova, que certamente acompanhavam os pais ou quem sabe, daqueles que gostam de aparecer em transmissão televisiva, principalmente em rede nacional. Então seria para estes a ceninha bizarra do coraçãozinho do Roberto? Mas caiu mais como um mico pro Rei da jovem guarda. Melhor a tradicional distruição de flores.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

A espera de um milagre










Se por um lado a publicidade oficial da prefeitura de São Luís alardeia que a cidade está trafegável e uma maravilha com as grandes obras realizadas pela administração Municipal na infraestrutura, por outro, problemas crônicos neste segmento continuam dando dor de cabeça a quem trafega pelos bairros da capital, como é o caso do São Cristóvão, onde as ruas por dentro do bairro mais parecem crateras de fim de guerra.

A espera de um milagre, a avenida 02, como podemos ver na foto acima, é um exemplo do descaso na infraestrutura da capital. O detalhe é que foi exatamente esta via a escolhida pela prefeitura para o trafego dos coletivos que vão no sentido Cidade Operária para desafogar o caos da Guajajaras, na altura do Mix Mateus. Mas o que seria uma solução, se tornou um inferno aos motoristas que a usam como desvio por conta desse enorme buraco que, de fato, nunca foi resolvido pela Semosp e que tem resultado num verdadeiro quebra-quebra de carros no local.

Aliás, estive conversando com pessoas dali, e elas me disseram que há uns dias atrás a prefeitura até que fez um serviço, que de tão péssimo, com material de quinta categoria (apenas brita), não durou nem um dia. Bastou uma chuva e tudo foi de água a baixo. Ficou apenas o resto de brita solta.

Resultado: é que os próprios donos de comércios daquela região estão se obrigando a quebrar as paredes de seus estabelecimentos para entupir os buracos, o que resulta num lamaçal horrível. E os motoristas que tentam fugir do engarrafamento da Guajajaras, encontram na verdade é a arma de destruição para seus carros.

Para a prefeitura a avenida 02 deve estar perfeita. Mas para quem convive com aquila excrescência, o investimento do prefeito Castelo escoou todo pelos ralos e os moradores, bem como os condutores é que estão pagando caro por essa irresponsabilidade administrativa.

A espera de um milagre II


Ainda no São Cristóvão, outro ponto crítico é a rua (ou avenida) José Sarney, aquela que dá acesso ao bairro São Raimundo e muito usada pelos condutores que também querem fugir do maldito engarrafamento da Guajajaras. Os buracos ao longo da via são de lascar com os automóveis.

Essa foto no detalhe fica logo no início da rua, local onde já aconteceram muitos acidentes, e muitos carros já saíram, no mínimo com amortecedor danificado. Ao logo da via, se vai encontrar outros buracos iguais ou piores que este.
Vários serviços já foram realizados ali pela Prefeitura, mas o benefício dura pouco tempo e o drama continua.

Será se a ojeriza do Castelo pelo Sarney é tanta que não consegue fazer um serviço durável na via que leva o nome do senador amapaense ou é o material usado que não presta mesmo. Se for pela primeira opção, que mudem o nome do logradouro em nome da acessibilidade da população. Mas se for o segundo, que tenham vergonha na cara e passem a ter mais respeito com o povo desta cidade.

A espera de um milagre III





Esse negócio de esperar por milagre da Prefeitura de São Luis também está lá na Cidade Operária. A avenida Este, que passa por trás da feira do bairro, via por onde passam os ônibus, está completamente intrafegável há meses, sem uma resposta da administração Municipal. Na foto acima, a sequência de buracos que chegam a engolir pneus de carros.

Por conta da buraqueira de aproximadamente 30 metros, motoristas que necessitam passar por ali, fazem malabarismo e mesmo assim, às vezes não se livram do pior. A situação é tão gritante, que tem condutores usando um caminho de pedra e mato para desviar do abismo. Os ônibus que servem aquela área, como é o caso de Socorrão II, chegam a mudar a rota constantemente, cortando pela Maiobinha para sair no Posto Paloma, e deixando os usuários umas feras nas paradas.
A pergunta é: Será se a Semosp desconhece o problema? Não se pode acreditar que sim, uma vez que já realizou serviço bem próximo, mas parece ter feito vistas grossas para o caso, ou então achou que os buracos ali estão dentro da normalidade e problema é de quem insiste passa por lá, como se ninguém pagasse caro para ter ruas decentes nessa cidade.
E o pior é que vem ai o período chuvoso e vai complicar muito mais locais, que como estes, estão a mercer de uma resposta da prefeitura.

Sabe de uma coisa? Essa do cidadão que tira o último centavo do bolso pra contribui com seus impostos (inclusive tivemos reajuste de IPTU), deixar o Estado à vontade dá nisso. Se todo munícipe, no pleno direito de sua cidadania, que tivesse qualquer prejuízo por conta desses descasos, entrasse na justiça com uma ação por danos contra as administrações públicas, certamente o prefeito, o governador ou mesmo o presidente teriam mais cuidado com o bem público a bem da população.
Agora é bem verdade que o prefeito Castelo, tem atingido alguns pontos esquecidos pelas administrações passadas, mas também não adianta somente construir uma avenida ou uma pequena ponte e achar que pode gastar horrores para publicizar o feito, e deixar problemas antigos sem solução porque isso vai irritar os ouvidos daqueles que penam para se locomoverem dentro de seus próprios bairros.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

LENTES MÁGICAS











Depois que passou a usar óculos de grau, Ronaldo voltou a marcar gols para o Corinthians pelo Brasileirão 2010, e embora que ainda meio desacreditado, aos poucos tenta reconquistar sua torcida e tirar assim a sua fama momentânea de gorducho do gavião.

Depois que apareceu no twitter com seu novo visual, usando óculos de grau, o não mais tão fenômeno assim, já marcou ao menos 3 gols em dois jogos, dois deles só no jogo contra o timeco do Guga, quando o timão balaçou as redes 4 vezes no Morumbi.

Eh muleque, o Ronaldo (entenda seus marketeiros) gosta mesmo de criar fatos para estar sempre em evidência midiática quando passa por suas más fases. Raspa a cabeça parcial ou total, deixa um topetinho incabuloso que vira mania nacional, fuma ou bebe em demasia, hora deixa a cabeleira crescer, usa barbicha, come bicha e até ataca os comentaristas de TV em seu twitter. Agora foi essa dos óculos de grau, que pelo visto deu certo, e que pode inclusive, lhe devolver o título de fenômeno no futebol. E ai tem que ser chamado de fenômeno mesmo porque bichado e com suas kiladas a mais, metendo as bolas, mesmo que em time de quinta categoria, não é pra qualquer jogador da atualidade.

Vai ver que além de dribles fantásticos, de seus chutes perfeitos, de artilharias por onde passa, e claro, de uma conta bancária fenomenal, faltava mesmo desta vez ao Ronaldo (que já estava, inclusive sendo cogitado a Rei Momo do Carnaval 2011), era, não só óculos, mas uma armação com lentes mágicas, que o deixasse com uma visão límpida dos traves à sua frente.

Salve o Ronaldo! aliás, salve o espetacular óculos de grau, que fez o "Bola" se reencontrar com os caminhos da bola!

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Esqueceram o velhinho. Jackson já era!















Rapaz, definititvamente o Jacoson Lago está desacreditado e abandonado por seus aliados, quer ver?
Até o prefeito de São Luis, João Castelo, tem ignorado o seu padrinho político, que tanto o deu suporte em sua eleição para comandar a Ilha "rebelde".
Em entrevista ao programa Roda Viva, da rádio Educadora, Castelo fez questão de frisar que venceu a eleção sozinho, sem apoio de ninguém. Lembrava que nas tentativas anteriores (frustradas), quando tinha alguém do seu lado, nunca conseguiu uma vitória, esta que só viria a se consolidar quando decidiu entrar sozinho, com a cara e a coragem, na disputa da prefeitura da capital em 2008. Assim, de acordo com o prefeito, toda vez que teve o apoio de algém perdeu no voto, e o máximo que consegiu foi chegar ao segundo turno, quando na oportunidade não consegiu superar o Tadeu Palácio.
Ou seja, o Castelo deve ter sido acometido de aminésia, pois esqueceu que antes de tudo, teve a força do então governador, Jackson Lago, que o colocou lá na EMAP, com direto a um baita orçamento, que iniciaria o preocesso de ressucitamento do homem que já estava até esquecido pelos ludovicenses.

Depois o Castelo esquece que contou com toda a estrutura do Palácio dos Leões em sua campanha, tanto que desse esforço, resultou em uma ação do candidato derrotado, Flávio Dino, que alegava uso da máquina em benefício da eleição do João.
Bom, é preciso mais? Aliás, na mesma entrevista, o mesmo Castelo, se recusou a falar do futuro das forças oposicionistas do Maranhão. Se limitou apenas a ressaltar que oposição funciona quando não está no poder. Na verdade, o prefeito se esquivou de citar o nome do pobre velhinho, em todos os momentos da entrevista quando era incitado a fazer isso.

Para muitos, é bem feito que o Castelo ignore o Jackson, diante da atitude do ex-governador, que depois de eleito, se juntou ao grupinho que o levou a sua maior derrota, e esqueceu seus verdadeiros aliados. Agora, fora do poder e sem perspectiva alguma, resta ao Jackson, atitudes cretinas daqueles que abusaram do prato e agora o cospem sem o mínimo pudor. É o caso do Castelo. Esqueceram mesmo o Velhinho. O Jackson Lago já era! Vai agora apenas entrar pra história de um governador que teve o Maranhão nas mãos e não soube fazer a diferença. Se aliou aos espertalhões e afundou no mar das desilusões.

Aliás, não JÁ ta na hora do velhinho pendurar as chuteiras? A propósto, vou lançar a campanha APOSENTA JÁ, onde você vai decidir se o JAckson deve ir ou não para a fila do INSS. Aguardem!

Mico ao fone











Foi geral a desorganização nos dois púlpitos pós-eleição, tanto da parte vencedora, quanto da perdedora, destaque para o uso dos microfones, que geraram micos para Dilma e Serra em seus discursos após os resultados finais do segundo turno.
Quando a Dilma chegou para falar, faltava o microfone, e quando este entrou em cena, o pedestal pareceia apenas um acessório. E quando providenciaram tudo, faltava um locutor do cerimonial. Aliás, a própria presidente eleita, ficou esperando alguém que pudesse anunciá-la. Com o microfone na mão, e tentando adapitá-lo ao pedestal, olhou pra um lado e pra outro e questinou se ninguém ia ajudá-la. Resultado: improvisaram o presidente nacional do PT José Eduardo Dutra, que anunciou a Dilma.

Mas o mico maior foi do lado da derrota, com o Serra lutando para equilibrar o microfone, que assim, como seu desempenho na campanha, o equipamento só caia. As tentativas de levantar o equipamento, deixou o vampiro ainda mais nervoso. Resultado foi que arrumaram um outro microfone, mas dificil mesmo foi encontrar suporte. Saíram tirando microfone de emissoras da frente e o discurso do Serra saiu, embora em um som péssimo, talvez, uma ratificação da derrota serrista. Aliás, de alegre no discurso do Serra, só o sorriso da mulher dele ali do lado.

Coisas de quem vivia os ânimos à flor da pele. Mico na certa.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Medo do PT pode pedir fim do finados

E depois de desmoralizar a Justiça eleitoral que obrigava ao eleitor votar usando dois documentos, agora o PT teme que o feriado prolongado das eleições venha aumentar o número de abstenções neste segundo turno o que pode prejudicar sua candidata.

É que finados 02 de novembro vai cair praticamente no dia seguinte a eleição, e como muita gente viaja, abandonando seus domicílios eleitorais, já desde a sexta feira, consequentemente as urnas estarão esvaziadas no dia da eleição. Para quem precisa de um número máximo de votos, será um prejuízo e tanto, coisa de preocupar qualquer Dilma, uma vez que as absteções podem vir a favorecer ao Serra. Nas votações do último dia 3, o índice de abstenção chegou a 18,12% em todo o país, maior do que o registrado no primeiro turno das eleições de 2002 e 2006, o que equivale a quase o percentual do terceiro colocado, a Marina Silva. E com um feriado desses, esse índice tende a bater um novo recorde.

Mas isso se dá poque ninguém ta mais interessado em votar. Afinal mais se perde do que se ganha com eleição. Ou na análise mais fria, vai dá um zero a zero, nunca se ver mudança pra melhor, ficando tudo como antes no quartel de Abrantes. A maioria dO brasileiro só vota mesmo porque é obrigado a isso, embora se viva em um país "democrático". Democrático? Que democracia é essa que você é punido se deixar de eleger uns carinhas de pau por ai? Ainda bem que se pode votar em branco ou justificar o voto. E essa história de que o voto é arma, deve ser um revólver de cano curvado, que você mira pra frente e ele dispara no teu peito.

Enfim, mas já que o PT teve tamanha infleuência para derrubar a decisão do TSE, mesmo ignorando os milhões de reais gastos em campnha para consientizar o cidadão de que deveria votar somente mediante a apresentação do título e um documento com foto, com o medo que tem de perder votos, já que não pode proibir o cidadão de aproveitar o feriadão, deveria baixar uma medida de urgência, alterando, ou mesmo acabando com a única data que se reverencia os nossos mortos. Será se não tão pensando em algo parecido? Da cabeça de político não se espera nada que preste.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Mineiro safadinho














E nesse resgate dos mineiros na mina San José, em Copiapó (Chile), cada um ali tinha uma história especial. Um deles me lembra uma música do cantor brega Adelino Nasimento (se não me falha a memória) que diz mais ou menos um assim: "Quando estou com ela eu penso na outra. Quando estou com a outra eu penso nela. Ela não sabe da outra, nem a outra sabe dela. E assim eu vou levando a vida com a outra e com ela..."

Foi o que aconteceu com o 21º mineiro a ser resgatado pela cápsula Fenix 2 na tarde desta quarta-feira (13).
Esse simpático resgatado ai acenando com a mão é Yonni Barrios, de 50 anos, um dos dos 33 mineradores soterrados há 69 dias. Ele era o responsável por cuidar da saúde dos demais colegas, sendo o encarregado de aplicar injeções e redigir relatórios sobre a situação dos companheiros de resgate.


Agora, ele talvez nem imaginava lá de dentro que quando saisse ia se deparar com uma surpresa daquelas.... Ou seja sairia daquele inferno do buraco para entrar em um novo inferno, o astral. É que Barrios era esperado por duas mulheres. Sim! Isso mesmo: Marta Salinas, casada com ele há 28 anos, e Susana Valenzuela, uma amante de alguns meses, sendo que nenhuma sabia da existência da outra, e ele seguia a vida com a outra e com ela.

E as duas foram todas felizes ao local do resgate para reencontrar com ternura aquele que poderia ter morrido naquela tragédia, e que as mesmas tiveram durante todo esse tempo de espectativa o maior medo de nunca mais poder afagá-lo em seus abraços cheios de esperança e muito amor pra dar.

E quando chamaram a esposa do Yonni Barrios para recebê-lo, eis que as duas mulheres se apresentaram. Ninguém entendeu nada. Todo mundo começou a olhar um pro outro e se lavam na risada. Diante da situação vexatória, Marta, a esposa se negou a receber o marido porque Susana estava presente. E a amante se deu bem. Com a cara mais limpa do mundo foi lá para abraçar o seu amado amante, agora mais que idolatrado.

Só não me perguntem o que aconteceu depois. Pra que casa Barrios seguiu depois do hospital ainda é uma incógnita. Se foi pra casa oficial, a esposa, certamente preparou, no mínimo aquele cabo esperto de vassoura pra arrebentar a cara do mineiro safadinho.

É meus nobres. Neste mundo dos segredos e do obscuro, tem coisas que dão certo, mas outras podem reservar supresas desagradáveis.

Eleições 2010: a oposição maranhense é Dilma

E aí meus caros amigos! Não. Não fui levado pelo Ficha suja. Estou de volta, depois dos primeiros resultados infernais das eleições 2010. E com a ficha mais limpa que nuvem do agreste. É que nos últimos tempos, tem me faltado tempo. Mas vamos ao trabalho. E o assunto é claro: eleições 2010, que neste primeiro turno, foi francamente, recheada de surpresas, decepções, palhaçadas e fatos pitorescos.
Surpresa que o Alberto Franco jamais esperaria. Talvez, ainda que um pouco desesperado (andou vendendo até casa em nome de sua candidatura), imaginava chegar entre os 42, mas depois de pular mais do que macaco em galho de pau, amargou uma tímida suplência. Aliás, o homem pode até não ter conseguido o seu intento de mais uma eleição, mas certamente se especializou em defender governo. Depois de ser braço forte do Jackson na Assembléia, com a queda do velhinho, o Franco, sem titubear, se franqueou defensor ferrenho da guerreira. Sem falar na disputa com um de seus pares por uma puta. Francamente pegou mal né, doutor?

A mesma surpresa surpreendeu o Pavão do povão (êpa! Do povinho!). O deputado da educação e da cidadania FM foi mais um que subiu naquele famoso foguete. Será se foi a maldição do Parangolé por terem plagiado o tal reboletion que cantarolava o número do candidato? Deviam ter ficado mesmo só no “vai dar tudo certo”. Por sinal, todos os outros candidatos que fizeram seus jingles copiando o Paragolé dançaram o rebolation, como foi o caso do Nonato Aragão, que nem os R$ 60 reais que distribuiu por cabeça (segundo comentários), garantiu sua permanência na AL.

A surpresa também agraciou o Flávio Dino, que nas pesquisas aparecia em terceiro e nas urnas chegou em segundo, para a decepção do Jackson, este que se tiver vergonha entre as rugas, vai ter que pedir aposentadoria. – Deixa o velhinho se aposentar... Não dá mais Jackson. O povo não perdoa quem o joga na merda.

E enquanto a polícia do Rio tenta acabar com onda dos arrastões, por aqui, um arrastão ganha a eleição: o do 15. Há há há há. E foi um arra$$$tão mesmo. Dessa vez a guerreira conqui$tou a capital rebelde. Mas dizem as más línguas que a derrama foi grandiosa. Uma garoupa por um voto pra Branca. Mas eu não acredito nisso não. Acho que a vitória da Roseana foi dada pela organização de uma campanha coesa, ante uma oposição desarrumada e sem rumo.

E não é que aquele negócio do “vota primeiro nele depois vota em mim” funcionou mesmo, rapaz! Ou seja: João e Lobão vão. O Zé e o Roberto também vão: aprender pra deixar de ser burros. Nunca se viu uma estratégia tão atrapalhada numa decisão tão importante. Ou será se o Rocha é tão burro mesmo? Hummm! Sei não! A história que rola pelos bastidores é de arrepiar os pelinhos dos idiotas que confiaram nele. Mas esta eleição confirmou o que há muito se imagina, que a oposição maranhense é Dilma: dilma incompetência cavalar. Usaram uma estratégia espetacular com tres candidatos ao senado, diz que pra derrubarem o Lobão e o João. Resultado: até hoje o REI se lamenta, e só depois de ver o resultado nas urnas, caiu na real de que estavam errados. Vai ser burro assim lá na cacimba de baixo.

E o nosso outro Zé, gente! O que tem mesmo o presidente do senado JoZé Sarney? Pelo visto foi muito grave. A doença nocalteou mesmo o poderoso chefão, tanto que ao contrário do outro Zé, o Alencar (vice presidente), que de lá da UTI, fica pedindo voto para a Dilma, o nosso Zé perdeu a fala. Foi hospitalizado às pressas, às vésperas do primeiro turno das eleições, e pelo visto, só restabelecerá da convalescência quando souber quem é o novo ou a nova presidente do Brasil. A volta do morto vivo. Se o Obama tivesse por aqui, certamente mudaria de opinião lulista, e batendo no ombro do Sarney, diria: “peço perdão ao mundo, porque este sim, é o cara”. Não é àtoa que é considerado como a cabeça mais pensante da política brasileira. O maior governista de todos os tempos. Lembram como foi, por exemplo, o apoio do Zé ao Lula em sua primeira eleição? Pequizem! Agora essa doença pode até ser verdade, mas ta cheirando coisa de circo.
Bom, falando em circo... e o palhaço Tiririca, gente? Ops! olha o respeito... Sua excelência, o deputado Tiririca. Parece que a coisa ta sim, ficando pior pro lado dele. Querem caçá-lo de qualquer jeito. Quer dizer, os mais de 1 milhão de votos foram jogados pras onças circenses. Também quem manda ser aluno do professor João de Barro? Nunca pensou o quanto era importante, ao menos escrever o nome. Se seguisse meu conselho estaria livre disso: menino, nunca é tarde pra estudar!!!

E o Ficha Limpa hien! É! Funcionou pra alguns! A propósito, político dá jeito pra tudo. Burla daqui e dali... Não basta ser sujo. Tem que participar. E a nova tática dos ilegais foi colocar alguém da família pra concorrer. Aí, o Fufucão bota o Fufuquinha. O Zezão bota o Zequinha. O Acher bota o Achinha. O Nadi bota o nadinha. Lá em Brasília, o Roriz botou a esposa Weslian Roriz, que pode até ganhar pro ficha suja governar. Com o detalhe: como não deu pra substituir a foto do Roriz da urna eletrônica, ao digitar o número da mulher, quem aparecia na foto era a cara do marido. E pra quem tava mais sujo que pau de galinheiro, a tática foi válida, tanto que o pessoal do Roriz quer manter a foto dele na urna, ao invés da Weslian. Já por aqui, quem não teve padrinho forte, nem teve um filho pra botar no lugar, vai ser cassado. O teimoso Cleber Verde que o diga.

Pra finalizar, o Dutra venceu o Fute ou ganhou com a ajuda do fute? Pelo menos durante toda a campanha estava com o Fute do lado, seja na boca, na escrita ou no seu carro alegórico. Sendo assim, teve sim a colaboração do rabudo. Aliás, dizem que, quando passou aquela semana sem comer lá na câmara, o magro velho de Saco das Almas recebeu a visita do Fute, que o mandou o Dutra transformar mocozinho de roupa (que tava lá do lado) em um prato de comida, mas o deputado tamanco (só couro e pau), contrariando o desjo do capeta, preferiu transformar mijo em água. É, Dutra, você agora vai ter que dá a sua alma pro Fute, em gratidão à votação expressiva. Vai que é tuuuua FUUUUTEEEEE....

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Parada dura


A parada continua indigesta entre os candidatos Jackson Lago e a Roseana Sarney na disputa pelo governo do Maranhão. Melhores nas pesquisas de intenção de votos os dois (embora sob a bandeira branca da Branca) estão se comendo no horário gratuito no rádio e na TV. Um duelo de gigantes imersos em grandes podres. É um acusando a outra e a outra acusando um. É um que fez o que a outra deveria ter feito e a outra vai fazer o que nem a outra e nem um fizeram.

E a bola da vez nesta eleição foi a “grande” descoberta do gás natural em terras Maranhenses. Viram como agora o Estado é rico e grande potencial deste produto? Já encontram gás em pelo menos dois locais diferentes. E você já cavou o seu quintal pra saber se aí atrás de sua casa também não tem uma reserva? Pelo menos será uma oportunidade para colocar um balde d’água nessa fogueira dessa briga incessante pela autoria de um feito obra e graça da natureza. A Roseana garante textualmente que é dela a idéia de criar gás no Maranhão. Seguindo por outro meandro ideológico, o Jackson (pra não dizer que foi ele), apela para o povo. Criaram até o jingle: “ele é o dono do gás... o povo é o dono do gás”. Em primeira instância o eleitor pode imaginar que quem não é Ela (Roseana) é Ele (Jackon) ou numa segunda hipótese, coincidência ou não, o nome da coligação do governador cassado é exatamente: “o povo é maior”, obviamente uma referência muito oportuna ao nobre candidato pedestista.

E tem também o tal helicóptero da polícia que vai garantir definitivamente a segurança dos maranhenses. A Roseana afirma que Ela comprou o aparelho, enquanto o Jackson contesta e diz que Ele foi quem comprou (detalhe com nosso dinheiro né??? ahn-hammmmm). E tem ainda as tais casas do PAC da Camboa. O Jackson diz que entregou mil Ed tanto, já a Roseana diz que foi mentira que ele entregou só cento e tanto. O Jackson volta retirando um zero, mas alfineta que as obras estão paradas e só ele sabia como construir. A Roseana volta e condena o material usado no governo anterior ao dela. Ou seja, alguém embolsou ou está embolsando dinheiro público, nesse negócio, porque a verba vem e pelo visto não está sendo bem aplicada. E coitado do povo dali que ainda é usado para servir de chacota nas publicidades deles. Alguns são obrigados a mentir em nome de uma câmera ligada ou na esperança de que sejam ao menos lembrados dos micos que tiveram de pagar pra falar bem de um ou da outra. O caldo ta grosso!

E ainda cabem outros destaque, como por exemplo, a briga do Flávio Dino com a Roseana pelo cadáver da Dilma. Quê que é isso, gente! Foi parar na Justiça eleitoral que proibiu o Dino de se apropriar da galinha dos ovos de ouro do Lula. Portanto, batido o martelo: a Dilma é da Roseana e ponto final. É impressionante! Agora o Flávio terá que buscar um outro amuleto. Que tal o Paulo Maluf? Rárárárá.

E aqui é oportuno frisar que nesta campanha, além da Roseana, a Dilma também carrega nas costas o Lobão, seu antigo desafeto, e hoje “Lobão, meu querido amigo”, diz a Dilma nos spots do ex-ministro. Lembram que ela fez vistas grossas para que o Lula não o nomeasse ministro das Minas e Energia, feito que ela só não conseguiu, graças ao dedinho do velho Sarney? Agora cá pra nós, já viu se o Lobão não virasse ministro, também não teríamos gás.

Aliás, é impressionante como neste assunto eles tratam a natureza e o povo em geral de uma forma tão arrogante e irresponsável, talvez tendo a certeza de que estão falando para um público idiota que vive a míngua, apenas esperando a hora da morte, quando chega o salvador. Dizem que descobriram o gás, como se aquilo fosse uma fábrica que eles construíram enquanto governavam, ignorando a tão generosa mãe natureza, que até fica triste com essas descobertas. E falam sem a mínima preocupação com o futuro de nossas gerações que vão pagar caro por isso. É como, se explorar este elemento do solo terrestre fosse a coisa mais natural em nome de um pseudo enriquecimento para os nossos miseráveis. Quando na verdade esse gás vai gerar muito dinheiro nas mãos de alguns, e além de alimentar a miséria de muitos, ainda vai resultar em sérias consequências para todos. Com instinto de ganância, eles apenas falam em retirar, explorar o bem natural, sem apontar previamente as providências para conter os danos que esta ação vai causar ao nosso ecossistema.


Enfim, o ring está montado e lutadores atacam nas partes baixas. Mas eles sabem o que estão fazendo e pra quem estão fazendo. E esta é a triste realidade de nossos governamentáveis, que montados num discurso midiático, em suas teorias medíocres, encontram solução para tudo e para todos. E nessa época em que o marketing de guerrilha funciona muito bem, com o objetivo confundir a opinião pública, disparam um contra o outro suas metralhadoras, carregadas de devaneios, de hipocrisias, de mágoas e de mentiras. É farpa pra todo lado. E no meio disso tudo, o pobre eleitor vidrado, antenado, e cada vez mais confuso em descobrir quem é o menos mentiroso que vai merecer o seu voto no dia 3 de outubro. A não ser os alienados que se iludem com o inusitado mundo dos políticos.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Palhaçada no horário político


Assim como na propaganda gratuita de São Paulo tem o Tiririca, por exemplo, o horário eleitoral no rádio e na TV maranhense também tem os seus palhaços de plantão, que o diga nos horários do PSOL e PCB, ressuscitaram até o Tião Macalé e o ET.

Lembram o ET, aquele bichinho franzino e muito esquisito que fazia um quadro humorístico na televisão ao lado do Rodolfo, que ficaram famosos como a “dupla ET e Rodolfo”? Pois é, ele morreu, mas ressuscitou na pele de Wilson Leite, e é candidato a deputado Federal pelo PSOL no Maranhão. Só faltou o narigão e ser mais vesguinho. Rárárárárá.

E o engraçado dos candidatos desta sigla, é que eles tentam incitar o eleitor a dá um voto de protesto nesta eleição, ou seja o protesto são eles mesmos. Algo do tipo, se você está satisfeito com aquele que você elegeu, continue votando neles, se não, vote em mim... (seria fácil conseguir muitos votos se tivessem boas propostas).

Entre outras figuras gozadas do PSOL, tem também o Lopes, muito empolgado, sendo a opção aos desiludidos. E fazendo o inverso, Rogerio Vieira, o cara que mal abre a boca pra falar. Não dá pra entender o que ele fala, parece com um medo tremendo, imagine um “caboco” desse nos representando lá no Congresso!! Acho que o Pinto ainda é melhor opção. Aliás, inovaram em um programa, quando inventaram de colocar ao lado dele um rapazinho muito mais triste ainda pra fazer a animação ao final do fatídico discurso eletrônico do Rogério, mas foi um desastre. Era pro rapazinho, levantar o braço do candidato de forma vibrante, que daria a idéia de uma força política, mas o coadjuvante parece que não entendeu a estratégia ou ficou com medo, quem sabe de quebrar o braço do candidato, e acabou ficando horrível o resultado! Quem tem um ajudante desses ta é ferrado.
E por falar em tristeza, já viram o sósia do Tião Macalé (Nojento!!!) no programa eleitoral? Candidato a deputado federal pelo PCB, o Biné é uma figuraça. Olhando sempre pra baixo (o script parece estar no chão), erra o texto, perde a entonação e esquece até o número dele próprio. Imagine que pra votar vai ter que decorar os números de presidente, senador, governador, deputado estadual e federal, ele mesmo. Acho que vai precisar levar tudo anotadinho no papel pra lembrar lá na frente da urna. Agora sacanagem mesmo foi da produção, que sequer editou os erros do pobre Tião, né? Parece que ta em falta competentes editores de vídeo em São Luis. Ou então, se esses caras querem é tudo de graça, não dá mesmo.

A propósito, estes até deveriam incrementar uma lista dos candidatos mais engraçados nos programas eleitorais que rola na internet, onde aparecem figuras como Tati quebra barraco (aff), mulheres: pêra, morango, uva etc, os jogadores: Romário (que segundo pesquisa, já está eleito no Rio e vai conseguir ficar em dia com as pensões ou então aproveitar a oportunidade para se livrar de uma vez por todas dessa obrigatoriedade), Marcelinho Carioca, Vampeta, e ainda o gay Ronaldo Esper (que só saiu do armário, depois que viu na morte do seu rival deputado federal Clovil, uma oportunidade de se eleger a custa da irmandade em São Paulo), além do Maguila, REginaldo Rossi, KLB e claro, dele, o Tiririca: pior do que ta não fica. kkkkkkkkkk

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

TV DERRAPADA: a garfe do Zé Raimundo no 7 de setembro


O feriadão de 7 de setembro parece que andou mexendo com a cabeça de alguns apresentadores da televisão maranhense. Garfes puderam ser vista, nesta data em dois programas: na Mirante e na Difusora.
Na primeira, durante o JMTV 1ª Edição, o relógio digital marcava 11:55, quando a apresentadora Ana Guimarães (com um aspecto de apavorada) anunciava 11 horas e 59 segundos, ignorou até os minutos. Que vexame, hein!! Se bem que isso é coisa que acontece até na rede globo, lembram a Zileide Silva? Agora derrapada feia foi aquela do nosso experiente Zé Raimundo Rodrigues, no Difusora Agora. Durante seu editorial de início, em que fazia referência a data comemorativa da independência do Brasil, dizia que o evento havia ocorrido há 118 anos, tese que foi ratificada pelo entusiasta coronel Guedes, comandandte do 24º Batalhão de Caçadores, entrevistado do dia. Em certo momento, que o Zé diria o correto que seria 188 anos, foi imediatamente corrigido pelo Coronel que reafirmava os 118 anos. E assim, o programa rolou coma informação equivocada sobre o dia em que o grito do Ipiranga era proclamado por D. Pedro I.

Então vejamos: Pela afirmativa do Zé e do Guedes, a proclamação da Independência do Brasil teria ocorrido em 7 de setembro de 1892, e não neste mesmo dia no ano de 1822, como conta a história. Aliás, um fato muito importante acontecia na comunicação brasileira, no dia em que se comemorava o centenário da independência em 1922: era realizada a primeira transmissão radiofônica oficial, no Rio de Janeiro, direto do Teatro Nacional, onde acontecia a Exposição do Centenário. Na oportunidade, o presidente Epitácio Pessoa inaugurava a radiofonia com seu discurso que foi ouvido por muitos brasileiros que tiveram acesso aos aparelhos, principalmente no Rio e em São Paulo. Ali também era executada a primeira música no rádio tupiniquim: a opera “O Guarani”, de Carlos Gomes, trilha que virou a cara da Voz do Brasil.

Bom, o rádio comemora seus 88 anos no Brasil de funcionamento no Brasil, se levado em consideração esta primeira experiência, mas de acordo com a tese do nosso comunicador e do comandante do Exército brasileiro no Maranhão, pode-se dizer que essa façanha ocorreu em 1992, quando hipoteticamente, se comemoraria os 100 anos da independência, e portanto, o rádio hoje estaria ainda muito jovem com apenas 18 anos de existência nos ares brasileiros.

Poizé, pegou mal a do Zé, que a propósito, só ele tem mais de 40 anos atuando na radiodifusão maranhense, portanto, como pode o rádio ter apenas 18? Mas isso é o que dá fazer um programa de tamanha credibilidade como é o Difusora Agora, com uma produção pouco competente, e complica mais ainda por se tratar de um programa que leva a marca da emissora, e certamente, que uma informação repassada equivocadamente, como foi este caso, pode comprometer, também a imagem de um dos mais competentes e brilhantes profissionais do rádio e da TV maranhense e brasileiro, como é o José Raimundo Rodrigues.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

RÁDIO DERRAPADA NO HORÁRIO POLÍTICO

















O programa de rádio da coligação “O povo é maior”, ao governo do Maranhão do candidato Jackson Lago, trouxe uma nova. A locutora entra no ar com a seguinte frase: “aumente ai o rádio...”.
Êpa! Mas como assim?
Como uma das funções da linguagem do rádio é criar imagens, fiquei a imaginar o ouvinte ali na cozinha, com o radinho de pilha na hora do café, que ao ouvir o pedido do locutor, terá que fazer um esforço louco na tentativa de esticar o pequeno aparelho. Diferente de aumentar o volume do rádio.

É fato que o rádio cria neologismos, e é fácil de entender por usar uma linguagem coloquial, ou seja, que pode ser facilmente compeendida por todos, mas nunca a ponto deixar confuso o seu ouvinte.

Até que é perdoável certos erros que emanam dos improvisos ao vivo, agora é inadmissível que num programa produzido (com script e tudo), gravado e editado se cometam derrapadas dessa magnitude. Talvez o erro do locutor foi o de não ter alterado a sentença do produtor do candidato.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Só faltou o “selinho”


Bastidores: Ensaiando o texto da propaganda






Que lindo! Diria o Caetano, da amizade entre o João e o Lobão, naquela simpática atitude na propaganda eleitoral na TV, se tudo tivesse ocorrido por completo.
- Lobão trouxe o luz para todos para todo o Maranhão (sério????). Vote nele antes de votarem mim.
- Nada disso! (o que?? Não é verdade??? Pensei que só eu achasse a informação duvidosa). O João Alberto é o braço direito da Roseana no governo (humm só por isso??) Vote primeiro nele e depois em mim.
Moral da história: o eleitor vai ter problemas pra votar nos dois. Aliás, vai estar entre a cruz e a espada na hora de escolher em quem vai votar primeiro. No Lobão ou no João? Daí vai precisar de múltipla escolha: ou no “mamãe mandou”, ou no “cara ou coroa”. Ou ainda pode pedir ajuda: aos universitários, às cartas ou pode pular. Esse é o perigo dessa estratégia, que vem como um solução prática, mas que pode dá uma confusão enorme na cabeça do eleitor. Imagine se o cara esgotar todas as opções e não se decidir? Vai acabar votando nulo.
Mas faltou uma atitude apimentada pra complementar aquele cordial pós-discurso (dos amassos, agarra-agarra, puxa-encolhe, aquilo na mão e a mão naquilo), algo que pudesse empolgar o eleitorado. Se político adora pagar mico em época de campanha eleitoral, cairia bem um selinho pra que aquela estorinha tivesse um final feliz. Então só faltou o selinho e tudo estaria bem encaminhado.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Máquina de fazer dinheiro


Depois do kit de primeiros socorros (lembram?), já está em vigor no Brasil mais uma medida punitiva do Contran a condutores de veículos, visando coibir incidentes no trânsito. Falo da conhecida lei da cadeirinha, que obriga o uso de equipamentos nos automóveis para a segurança das crianças. Pela determinação, menores de zero a 7 sete anos e meio deidade, agora só no banco traseiro e usando a cadeirinha ou beber conforto.
Veja como fica:
Até 1 ano: bebê conforto no banco de trás
De 1 a 4 anos: cadeirinha no banco de trás
De 4 a 7 anos e meio: assento de elevação, sem encosto, no banco de trás

Ainda de acordo com a resolução 277 do Contran, de maio de 2008, o motorista que não se adequar a regra pode ter que pagar multa no valor de R$ 191,54 e levar sete pontos negativos na Carteira Nacional de Habilitação.


Ao contrário do cinto de segurança, que este sim, mostrou resultados, e tem evitado de fato, muitas tragédias no trânsito, a medida que obrigava os donos de veículos a usar o “kit de primeiros socorros” mais pareceu uma pareceria do governo com fabricantes para escoar o produto que foi vendido como água e nunca se teve conhecimentos reais sobre a eficácia de seu uso, tanto que, depois que venderam tudo (ou até alguém ter enriquecido com a produção), acabou-se também com aquela fiscalização ostensiva por parte da polícia e, por fim foi abolida.
Agora é a vez da cadeirinha, que além de sua obrigatoriedade nos carros, a medida estabelece categorias de uso para as crianças. Ou seja, o cidadão terá religiosamente que estar comprando o produto a cada época, como se tratasse de uma moda, onde o aficcionado por estar atualizado no vestir ou no calcar, tem que aderi-la, custe o que custar. Neste caso, o motorista não tem outra alternativa, mediante a punições tão severas impostas pelo Contran.
E aqui entram vários agravantes, por exemplo: os taxis também estão inclusos nessa medida? O taxista será obrigado a ter disponível quantos equipamentos? E quando o número de crianças for superior ao de equipamentos? E como ficam os transportes escolares, os próprios transportes coletivos,como vans e ônibus? Terão que adotar a medida e deque forma? Ou estes não representam um perigo eminente na condução de crianças? E ainda, o condutor que tem três filhos nesse público de 0 a 7 anos, já que nos bancos trazeiros só existem dois cintos de três pontas? Deixar um em casa, seria esta a solução?

O acessório é indispensável sim, mas ao contrário desta política severa para seu uso e consumo, diante de preços nada acessíveis ao consumidor (só um beber conforto tem custo médio de R$ 300 e as cadeirinhas chegam a quase o valor de um carro popular), sem contar a falta no mercado, a aquisição destes deveria acontecer espontaneamente por meio da consciência do cidadão, bem como suas condições. Caberia ao alcance deste, informações permanentes, seja através de campanhas publicitárias, como de orientações e noticiosos sobre o assunto no rádio, na TV e demais veículos midiáticos, como é o caso de impressos. Nunca na força e na obrigação, pois a forma draconiana com que essas medidas tem sido enfiadas goela a dentro nas pessoas, torna-se um abuso, pois além de mexer violentamente no bolso (seja na compra ou nas multas), pune os condutores com a perda de pontos na CNH. Assim, mais parece uma ação de um marketing industrial bastante agressivo, a ponto de se utilizarem o poder público (diga-se passagem do poder maior da república) para fomentar a venda dos seus produtos a qualquer custo.

Sinceramente, este negócio muito produtivo, por sinal, tem características de idéias visionárias de algugém que ver no comércio de carros, uma oportunidade de introduzir com êxito no mercado seus produtos. E com uma ajudinha dessas, então, sem dúvida que resulta em muita lucratividade, uma máquina de fazer dinheiro muito eficaz.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Protesto geral, vão fechar o “xirizal”
















Os frequentadores do Oscar Frota, região do baixo meretrício de São Luis, ali no mercado cental, devem formar uma comitiva nos próximos dias para um grande movimento de protesto em frente a prefeitura da cidade contra o fechamento do inferninho mais famoso da capital, popularmente conhecido como “xirixal”.

É que um projeto da prefeitura a ser executado pelo prefeito João Castelo, em seu programa de revitalização do centro histórico, pretende extinguir a área mais charmosa da cidade, que concentra amantes e boêmios das mais diversas classes, entre eles, radialistas, jornalistas, professores, turistas e até mesmo políticos, apreciadores das mais divertidas profissionais do prazer que por ali circulam . Para o prefeito, isso pode até não significar nada, mas para muitos amigos nossos, mais do que prazer, o local representa os seus melhores momentos: de alegria, de felicidade ou simplesmente o passa-tempo mais perfeito que se possa ter. Afinal, além de mim, ao longo de tantos carnavais, quem nunca viveu momentos insequecíveis proporcionados pelo OF?

Ah, fala sério né seu Castelo! Vamos revitalizar o Centro histórico de São Luis, sim, porque é necessário, assim como é de extrema necessidade que se urbanize o Mercado Central, mas também vamos entender que felicidade não tem preço. Acabar com o OF, que além do mais é um potencial produtor de recursos aos cofres públicos, é demonstrar-se de uma insensibilidade sem tamanho e de um conhecimento cavalar sobre economia.

A própósito, jogo da verdade: vai dizer que o Doutor também não guarda grandes recordações do "Oscar Frota"!!! Se estiver errado, podemos até fundar o clube dos dois que nunca frequentaram o local, mas, pelas barbas do profeta, nada lhe dará o direito de apagar a história dos nossos bons xirizalenses.

Representar o povo no Congresso é obrigação

Engraçado como os candidatos a deputado federal e senador insistem em afirmar nos seus ricos discursos, que vão “representar o Maranhão em Brasília”, e os que estão querendo se reeleger, fazem questão de dizer que representam e querem continuar representando o Estado no congresso, como se estivessem ali fazendo um favor.

Na realidade, é obrigação do parlamentar, eleito com o voto popular, ir a Brasília, sim, não só para representar, como defender os interesses do seu povo naquelas casas legislativas, propondo e criando leis que beneficie seu Estado. Aqueles que não o fazem é porque são omissos, irresponsáveis, mentirosos e descompromissados com sua função, e inclusive, merecem o repúdio dos eleitores nas urnas. Porque é inadmissível que alguém que esteja ganhando um (pouposudo) salário pago pelo cidadão de bem que o elegeu ao cargo, para simplesmente ficar ali, feito um espantalho, apenas ocupando uma cadeira de parlamentar, gozando de tantas benesses que lhe são favorecidas, aumentando seus patrimônios e explorando a boa fé de seus eleitores, sem mostrar a esse mesmo povo que o elegeu para que foi eleito.
Ta na hora de mudanças nessas concepções atrasadas ou espertas em excesso para o nosso século, afinal o povo ta evoluído, ta mais ligado do que se possa imaginar.

Ao invés desse blábláblá, de um discursinho medíocre pra idiota absorver, de dizer simplesmente que vai representar A ou B, isso e aquilo, melhor apresentar projetos que pretendem apresentar ali, propostas e ações de mudanças possam garantir melhorias à população certamente dariam mais resultados, porque desse papinho ridículo o eleitor já está se cansando.

O pai do shopping do cidadão


E olha que acompanhar aos programas eleitorais no rádio e na TV também é cultura. Se aprende tanta coisa... Quando que eu ia saber quem é o pai do shopping do cidadão?
Os shopping centers tem sua origem no Grande Bazaar de Isfahan, atual Irã, construído no século X a.C. Este modelo de comércio inspirou o Oxford Covered Market aberto oficialmente na Inglaterra em 1774, e existe até os dias atuais.
Os Estados Unidos vieram a ter o seu o primeiro shopping center em 1828 e a Itália, na década de 1860.
No Brasil, os shoppings pioneiros foram inaugurados na década de 1960: Shopping do Méier, no Rio de Janeiro e o Shopping Iguatemi, em São Paulo.

E no Maranhão? Ouvindo a propaganda eleitoral no rádio descobri que o pai deste modelo de empreendimento para o cidadão chama-se: Luciano Moreira. E eu vou continuar acompanhando esses programas porque agora saber quem é a mãe deste tal shopping do cidadão, por sinal, que o pai se esqueceu de dizer, que o seu filho adotou outro nome há muito tempo. Então vamos lembrar ao eleitor mais novo que há anos é chamado de Viva Cidadão, com funcionamento no bairro do João Paulo e na beira-mar. É que o pai anda meio esquecido, sabe como é a idade, né gente? Perdoe esta alma!
Ah, mas juro que ainda quero ouvir o depoimento da mãe, com todo o carinho, dizendo que o “shopping do cidadão” ou “viva cidadão” foi gerado em suas entranhas no dia tal, ano tal, etc e tal e tudo mais.

Depois que eu souber quem é a mãe, vou aprofundar ainda mais meu estudo para descobrir quem são os pais do Tropical, Monumental, Colossal, Colonial, São Luis e Rio Anil, entre outros shoppings desta cidade. Então parabéns pro papai!!! Esses políticos sabem tudo.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

O cara é também o Messias


É incrível como os candidatos querem tirar uma casquinha do presidente petista, para um apadrinhamento nesta eleição, até mesmo aqueles mordazes adversários, que tanto o combateram em pleitos anteriores, antes do Lulalá se transformar no “cara”.
E com aquela do Obama, então, agora, não interessa quem seja, ou Color, ou Sarney, ou Roseana, ou Flávio Dino, ou tantos outros que se encostam no Lula para mostrar ao povo que vão conseguir, desta vez, mudar a história do País. Até mesmo o velho Jackson Lago, gente, no fundo, no fundo, gostaria de externar com o maior prazer que vai governar com a força do Lula, e só não o faz por que foi forçado a estar do lado do Serra.
E como numa situação de desespero, tem gente, que para agregar valores mais ousados a sua candidatura, vai além de uma simples citação do nome do presidente em seus programas de rádio e TV, como é o caso do nosso eterno deputado federal Sarney Filho, que faz questão de encher a boca de um: “Lula, meu grande amigo” para conseguir mais um mandato em Brasília. Certamente, se passa pela cabecinha do parlamentar maranhense, que assim, nada mais frustrará seus planos de permanecer por lá.

Aliás, o Lula tem um fôlego animal, hein! Com tantos afilhados políticos, deve ter tido até dor de cabeça, garganta inflamada, stress etc pra grava tanta mensagem pra esse horror de aproveitadores que concorre eleição por todo o Brasil. Assim como o Obama, todos querem botar no Lula. É que imaginam que o cara seja mesmo o messias.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Taradão do jornalismo



Que história mais doida, hein!!! Um professor de jornalismo norte-americano foi preso porque se masturbava de um jeito muito louco. Jerry Dunklee, de 64 anos (este moço ai da foto), que mora em New Haven, no estado de Connecticut, ficava numa janela sem cortinas de frente à casa de uma vizinha, e mandava a mão.

Segundo o jornal "Hartford Courant", uma vizinha de 38 anos chamou a polícia, que chegou e ainda o encontrou com a mão na massa, quer dizer, no nervo. Ela contou que, por diversas vezes nos últimos quatro anos, flagrou Dunklee nu na janela e que às vezes, ele dançava pelado.

A mulher contou também que, uma vez seu marido chegou a tirar satisfação com o professor toneteiro, quando o viu se masturbando. Na ocasião, o mão de calos pediu desculpas, alegando que não sabia que podia ser visto de onde praticava seu ritual sagrado de todos os dias.
Mas desta vez, num estado, digamos deimpotência, a mulher decidiu ligar pra polícia porque o taradão ousadamente resolveu se masturbar acenando para ela. Quando os policiais chegaram, embora o principal já estivesse desarmado, o homem ainda estava pelado, e nu, com a mão no bolso.

Não deu outra! Dunklee foi detido acusado de exposição indecente. Ou seja, tonheteiro sem vergonha.

É meus amigos! Há 4 anos que o cara tocava uma gaita praquela coitada, e o marido dela só veio a saber porque numa dessas, viu a ação do malago com os próprios olhos que um dia a terra há de comer. E por fim, a mulher desistiu das promessas do professor de que não tocaria mais a tonieta, e para não ser mais tentada, resolveu denunciá-lo a polícia. Esta é mais uma historinha de louco de um país de malucos.

Destino cruel



Olha o Dutra ai de novo gente!!! E agora dentro do grupo que ele tanto se opunha em sua jornada de político. Alias, chorou, fez greve de fome e até ameaçou morrer no plenário da câmara federal para não estar ao lado de Roseana Sarney nesta eleição. Tudo em vão.
Resultado: Ta dentro, junto com a guerreira. E embora ele não tenha permitido que estapasem ao fundo de seu cenário na propaganda eleitoral na TV a marca da Roseana Sarney, mas as vinhetas no início e no final do bloco de sua coligação, inevitavelmente denunciam de que lado o deputado tamanco está.

Na verdade, não parece que o Dutra tenha escolhido uma realidade diferente, pois se quisesse, teria feito como tantos outros que se desligaram do PT, por conta de dissidência dentro do partido, como aconteceu com a Heloisa Helena, que fundou seu próprio partido, o PSOL, lançando-se candida a presidência na eleição passada, ou a própria Marina Silva que se filiou ao PV e concorre ao palácio do Planalto neste ano.

E que tanto medo teve o Dutra de abandonar a sigla? Por causa de sua história com a estrela vermelha? Ou teme perder a bela amizade (da onça) que dispensa do Lula, pelo fato do homem ter tão forte influencia no mundo político e frente aos políticos do mundo? Destino cruel ou talvez seja o início de uma nova trajetória do magro velho de Sacos das Almas: deitar-se eternamente no berço esplendido do velho mestre bigode.

Então, Dutra, segura forte que, agora você vai ter que me engolir. Diz a sua maior rival, e que por ironia do destino, agora é sua fiel companheira, queira ou não.

É isso ai, guerreiro com guerreiro, fazem zig zig zá...

Governo para os pobres


Finalmente a pobreza brasileira vai ser agraciada com o governo que sempre sonhou, pois em se tratando de conhecimento sobre o assunto e dispozidade para atuar nesta área, temos os candidatos a presidência mais perfeitos que já se pode ter.
Todos eles, principalmente os três que aparecem no podium das pesquisas, falam a mesma língua, ou seja, garantem que vão desenvolver muito mais políticas para as classes pobres e oprimidas do País. É bom que se diga, também, que os três principais candidatos têm algo em comum, tanto a Marina, como o Serra e a Dilma se intitulam pobres, garantindo que nasceram em lares humildes. Eles vão atacar os principais problemas sociais quando sentarem na poltrona de presidente, por terem uma identidade própiria com as classes sofridas.
Educação, saúde, segurança, ampliação dos programas sociais (bolsa isso e bolsa aquilo), emprego pra todo mundo, os melhores salário da história, enfim, igualdade para todos, é o que está muito evidente nos discursos de nossos presidenciáveis.

Ou seja, em qualquer dos colos que vier a sentar-se, o Brasil vai se dá muito bem, e os carentes do país esperam ansiosos, e quem sabe até pagam para se embeberem dos privilégios que prometem nossos novos heróis.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Discurso de bombonzeiro


Parece sem direção as gravações desses programas do horário eleitoral gratuito do rádio e da TV. E se existem marketeiros de plantão para orientar o comportamento dos candidatos diante das câmeras e dos microfones, não estão influenciando em nada seus comandados, alias, estão sim, mas ao senso do ridículo. Os caras ficam lendo no teleprompter, ou no papelão do lado, e em alguns casos, parecem até ter dificuldade de entender o que está escrito para interpretar os textos. Os olhos ficam pra lá e pra cá e o candidato morto, não consegue transmitir a mínima emoção ao espectador, pelo contrário, mais servem de gozação ao público.

Um exemplo disso pode ser constatado na aparição inicial do professor Moacy Feitosa. O seu orientador de marketing conseguiu fazê-lo um homem doente, um soldado que ta entrando na guerra, já vencido. A expressão do candidato é de quem está pedindo esmola pelo amor de Deus. Além de um homem travado e nervoso, quase sem abrir a boca, apresenta uma narração linear sem sentimentos, sem a mínima motivação. Realmente não comoveu, não impressionou ninguém, a não ser quem está a frente de sua campanha, que ou não entende nada do assunto, ou o iludiu com aquele: "foi excelente, professor".
Fizeram do discurso do ex-secretário Municipal de Educação de São Luis, um lamento de bombonzeiros, sabe, daqueles garotos que entram no ônibus vendendo as famosas balinhas do coração ou do pulmão, do fígado...? Aliás, vamos fazer justiça, muitos deles se saem muito melhores vendendo bala do que o professor Moacy se vender como produto ao eleitor usando as mídias eletrônicas. Voto desse jeito, só mesmo por pura piedade.

Pelo currículo que tem este homem, de uma inteligência fantástica, de uma oratória espetacular, que conseguiu, inclusive, introduzir políticas educativas no serviço público da capital (que embora, em certos casos, um tanto questionáveis, teve forte adesão de seus comandados), acredito que o professor Moacy merece um carinho no trato de sua imagem, afinal, o eleitor precisa de idéias positivas, de homens e mulheres determinados, de firmeza em seus discursos. E para usar mídia, mais do que isso, o público espera o mínimo de carisma, não de um lamento.
Parece que o pessoal ai desconhece os princípios do marketing para o lançamento de um produto no mercado. Gente, a primeira impressão é sempre a que fica, não vamos esquecer disso, hein!

Sem propostas e com gasto zero




É fácil identificar que o PSTU, pelo menos em nível local, é um partido sem expressão política e com uma ínfima aceitação popular, por não dispor de atrativos aos seus potenciais eleitores. Vem eleição, passa eleição e o discurso é o mesmo em todas elas. Os personagens também são sempre os mesmos. Nenhuma inovação.

Com o velho approach “É preciso lutar. É possível vencer!” e o slogan caduco “Contra burguês...”, a trupe comandada pelo Marcos Silva, aparece sem a mínima criatividade, coisa que normalmente os partidos esquerdistas costumam ser em suas campanhas eleitorais. O que se vê são repetições de todos os anos. As mesmas estratégias, discursos agressivos e com teores nazistas e ditatoriais, com poucas propostas, e muitas delas desconexas até mesmo a sociedade. Até os ataques também estão tão batidos, que todos já sabem de co e salteado o que os “radicais” vão dizer em seus discursos. Será que de fato, esta é a maneira correta de convencer o eleitor que se tem o melhor plano administrativo em benefício de seus comandados? Pelo menos ainda não é fenômeno por aqui.

Alias, é bom destacar que o PSTU, talvez este seja o único partido que tem gasto praticamente zero para a sua propaganda no rádio e na TV. A impressão que se tem é que os programas e spots promocionais são reutilizados, pois mantém características de produções das campanhas passadas. Quem ouve ou assiste aos programas percebe o tanto de desperdício num espaço tão oportuno, que deveria ser aproveitado com sapiência cada milésimo em seu favor, o que não acontece no caso do PSTU.

Na verdade não dá pra entender qual o real objetivo do Marcos Silva na política porque num mercado tão competitivo, não tem se apresentado como um produto que esteja visando satisfazer as necessidades do público. Então, seria apenas um aproveitador das benesses da mídia gratuita nos períodos eletivos para aparecer como um adversário contumaz da família, que como costumam dizer, seria a dona do Estado? Ou na verdade se enquadraria no papel de um boi de piranha, para beneficiar forças ditas de esquerda no Estado?

Se a idéia é mesmo de um compromisso sério com a população, falta muita inovação pra essa galera. Sem novidades, sem estratégias de marketing, jamais refletirão resultados positivos na mente do eleitor, ou seja, nunca conseguirão construir um apelo plausível capaz de convencer alguém de que este partido e seus representantes têm as mínimas condições de governar, ainda mais um Estado tão complexo como o Maranhão.
Se continuar assim, toda luta será como remar contra a maré. E vencer, talvez só quando morcego doar sangue e saci cruzar as pernas.

Tião Macalé está entre nós


Hilária foi a apresentação dos candidatos do PCB. Enquanto o vereador Joberval Bertoldo fazia a narração para mostrar as pérolas que vão disputar esta eleição pela sigla, a produção usa uma estratégia que provocaria aquele impacto no eleitor: o candidato de rosto para trás, vai virando a cabeça e dá aquele tcham que impressionaria. E aí é que vem a graça.
Lembram do Tião Macalé com seu famoso jargão: Ih! Nojento!? O PCB conseguiu ressuscitar esta fera do humor nacional e lançá-lo candidato a deputado federal do Maranhão. Só mudaram o nome.
Eis que o eleitor ver aquele homem de cor negra com o rosto pra trás e usando chapéu. E quando lentamente a cara dele é virada para a câmera... tcham tcham tcham... Ih! Nojento! Esse é o impacto que fica no espectador. Que coisa hein!! Acho que foi intencional econseguiram esse efeito, não se sabe pra que... Ouentão, qualquer semelhança é mera coincidência.

E por falar em PCB, como é complicado saber com precisão o que fala o candidato da sigla ao governo do Estado, Josivaldo Corrêa, no programa eleitoral gratuito. O homem mal abre a boca, e com linguajar completamente truncado fica difícil compreender o que diz.
Gente, vamos investir em oratória, ninguém é obrigado a decodificar os murmúrios de alguém que pretende nos convencer de suas idéias, principalmente as políticas.

Derrapada feia da Roseana no rádio


ETA! que o pessoal que coordena a campanha da Roseana Sarney andou patinando feio na maionese, nos primeiros programas no rádio. Na sexta-feira, 20, o locutor inicia com um infeliz “boa tarde”, em plena 7 horas da manhã. Verdade, não é história de pescador – meninos, eu ouvi.
E chama a candidata, que também, erradamente dá o seu “boa tarde” aos potenciais eleitores. Até aí, “perdoável”, lapso dos programadores que colocaram no ar o programa errado, era o da tarde que foi pela manhã. Mas ao final da inserção, a governadora se despede com um: “tenham todos um bom dia”. Ué!!! Mas o programa não era da tarde? E por que no final a governadora se despede dando bom dia? O mesmo aconteceu com o programa do senador João Alberto, que alias, usa os mesmos locutores e certamente produtores da governadora. É o famoso pacotão da economia, que ainda inclui o senador Edison Lobão. Pague um e ganhe três.
Mas juro que ainda tento entender o que pode ter acontecido nas audições. Começando com boa tarde e encerrando com bom dia, parece que começou num dia pela tarde e acabou no dia seguinte, pela manhã. Detalhes que jamais poderiam acontecer, ou então acham que ouvinte de rádio é retardado. Vai de qualquer jeito, mesmo, né amigos??? Esse é o valor que dão ao nosso rádio, ou melhor aos nossos ouvintes.

As aberrações da propaganda eleitoral



Rapaz, quanta aberração neste início de campanha política, no horário eleitoral no rádio e na TV, viu!?!?!?! Tem gente prometendo absurdos! E as asneiras??
Tem candidato dizendo, por exemplo, que vai garantir salários para universitários. Humm!! Salário pra universitário??? Só faltava esse!! Quer dizer, ser universitário vai virar profissão! Imaginem a disputa, como vai ficar acirradíssima por uma vaga na Ufma e na Uema. E ninguém mais vai querer sair dos campi, claro, ninguém vai abrir mao de seu salário. Alias, vai ser preciso editar uma lei acabando com o jubilado. Depois vai vim outro mais maluco ainda e estabelece aposentadoria aos universitários. Beleza, né? Até eu vou entrar nessa!!
E no horário eleitoral tem gente dizendo que vai obrigar governo e prefeitura a dá um notebook a todos os professores da rede pública. Quer dizer, se os governos já estão se lixando pra greve de educador, e pra alunos sem aula (afinal, pra eles é melhor assim), agora basta um notebook e prefeito (a) e governador (a) não terá mais obrigação nenhuma com esta classe. Nada mais de reivindicação por melhores condições salariais, viu, amiguinhos! De duas uma: ou o cara ta pensando que todo mundo é burro ou ele é que é burro em excesso.
E ai tem candidatos para todos os fins específicos. Têm os das regiões, da educação, os da segurança, os da saúde, os da educação, e da educação com trabalho, os do esporte isolado ou misturado com juventude, tem os da mulher, da criança e do adolescente e por incrível que pareça, não tem ninguém que queira defender os direitos do homem.
E por falar em defender menor, tem uma candidata que diz que vai cuidar da criança e adolescente do nosso Estado. – Defenderei a criança e o adolescente, diz a candidata, como se fosse só isso o papel de um parlamentar. Ai é moleza, depois de eleitos, cada qual no seu cada qual. – Vamos votar o salário dos policiais. – Ah não, isso não é comigo, fui eleito só pra cuidar dos direitos da criança ou dos problemas de minha região, e por ai vai.
A propósito, da proposta da candidata de querer cuidar das crianças e adolescentes, até imaginei, ela, depois de eleita construindo uma espécie de creche-abrigo colossal. Imaginei os semáforos da capital, finalmente vazios, sem aquela galera que risca nossos carros, se a gente não der 50 centavos. Que maravilha, né?
Ainda falando neste assunto de menores, achei intrigante o discurso de um candidato a reeleição a estadual. Ao relatar sobre seu “brilhante currículo”, dava ênfase ao seu trabalho na relatoria da CPI da pedofilia, quando, na realidade, fez vistas grossas ao caso, chegando, inclusive, por muitas vezes, deixar de comparecer as sessões da comissão. Aí que é muita cara de pau, querer a essa altura do campeonato se beneficiar de algo que esteve lá somente pra se promover e não com a intenção de procurar resolver o problema, de fato.
E tem gente, que por falta do que dizer, ou mesmo por não ter proposta para apresentar, vai lá e lê uma passagem da bíblia, numa tentativa de transferir para si os efeitos das palavras do mestre. Foi o caso de uma evangélica, que usou o horário para o seguinte discurso: “E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”. Ah ta! A verdade aqui seria ela?
São coisas de aspirantes a uma vaga no legislativo. Neste momento vale tudo. Depois que chegam lá, já era.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Nomes esculachados


O nome é a primeira identificação de uma pessoa. No primeiro contato que temos com alguém, logo nos interessamos em saber como se chama. Agora imagina alguém responder algo que você acha que seja piada! Cai na gargalhada e deixa o cara ou a moça uma fera ou mesmo numa situação vexatória. Os pais deveriam pagar era caro por criar sutuações tão humilhantes aos filhos ao escolher uma aberração para denominar uma criança. Exatamente ele, o nome, pode ser tão decisivo para o futuro de um ser no mundo atual.
A lei 6.015, de 1973, proíbe os oficiais de cartório de registrar crianças com nomes que podem expô-las ao ridículo ou a situações humilhantes. Mas mesmo assim, certos país ainda insistem em transformar o filho em uma piada.

Confira a seguir alguns dos nomes esculaxados que os pais escolheram e os cartórios registraram por esse Brasilzão dos ridículos:

Asteróide Silverio (o cara deve levar fogo no rabo)
Açafrão Fagundes (o pai devia cultivar plantas medicinais)
América do Sul Brasil de Santana (aff esse profundo)
Antônio Querido Fracasso (esse filho era muitissimo esperado)
Aricléia Café Chá (mais completo impossivel)
Arquiteclínio Petrocoquínio de Andrade (oh louco, meu!!!)
Barrigudinha Seleida (kkkkkkkkkkkkkkkkk proibida de ser esbelta)
Bemvindo o Dia do Meu Nascimento Cardoso (deve ter nascido num dia de sorte,pro filho foi azar)
Bizarro Assada (mais bizarro impossível)
Cafiaspirina Cruz (credo, a mãe devia sofrer de enxaqueca profunda na gravidez)
Cantinho da Vila Alencar da Corte Real Sampaio (Oh dó, esse aqui homenageou o lugarzinho preferido dos pais)
Carlos Alberto Santíssimo Sacramento Cantinho da Vila Alencar da Corte Real Sampaio Carneiro de Souza e Faro (aff, isso pau pra dá em doido)
Céu Azul do Céu Poente (o proximo deve ser do céu nascente)
Chevrolet da Silva Ford (juntar duas montadoras concorrentissimas, devia ser processado)
Colapso Cardíaco da Silva (credo, este é morte em vida)
Dezêncio Feverêncio de Oitenta e Cinco (que isso???)
Dignatário de Ordem Imperial do Cruzeiro (acho que foi no tempo de D. Pedro)
Ernesto Segundo da Família Lima (como terá sido o primeiro!!)
Errata de Campos (esse pai era auxiliar de escritório)
Esparadrapo Clemente de Sá (o proximo deveria ser chamdo absorvente kkkkkkkkkkkk)
Espermatocleide (ta certo, onde tudo começou)
Fologênio Lopes Utiguaçu (carai)
Fraternidade Nova York Rocha (como éque você sechama mesmo meu filho? disse a professora)
Himalaia Virgulino (graça e desgraça)
Himineu Casamenticio das Dores Conjugais (neste caso, só desgraça)
Inocêncio Coitadinho (nem dá pra apelidar um diabo desses kkkkkkkkkkk)
Japodeis da Pátria Torres (mais patrota impossível)
João Cólica (credo, imagina a cara deste bichinho)
João da o Cú da Luz Fernandes (kkkkkkkkkkkkkk bicha até no nome... se aderiu a profissão parabens pros pais)
João Pensa Bem (o outro ficou João Pensa Mal)
Joaquim Pinto Molhadinho (só no ponto do crewww)
Jogos Mortais (esta foi a homenagem de um cibernético)
Jogos Mortais II (um era pouco)
Jogos Mortais III
Jogos Mortais IV
Jogos Mortais V
Jogos Mortais VI (ainda bem que a mulher parou de parir)
José Catarrinho (gripado até no nome)
José Casou de Calças Curtas (se fosse menima se chamaria Maria casou de saia justa)
Lança-Perfume de Andrade(esse bebê foi feito numa brincadeira de carnaval)
Manuelina Terebentina Capitulina de Jesus Amor Divino (Jesusssssssssssssssssssssss)
Maria Passa Cantando (a outra ficou Maria Passa Chorando)
Maria Privada de Jesus (era onde o mestre depositava seu totô?)
Maria Tributina Prostituta Cataerva (rapaz, essa coitada deve ter se inforcado)
Mereveu Dois de Agosto de Oliveira (ta certo, nome e data de nascimento, logo tudo junto)
Nascente Nascido Puro (repita seu nomizinho pra classe, filho!!)
Naida Navinda Navolta Pereira (mais conhecida como redundância)
Napoleão Sem Medo e Sem Mácula (o céu é dele)
Oceano Atlântico Linhares (Os próximos: Pacífico e Índico)
Ocidentina de Fontoura Nunes (claro, não é do ocidente?)
Percilina Pretextata Predileta Protestante (meu amor, como você se chama?)
Produto do Amor de Mariana e Maribel (kkkkkkkkkkkkkkk filho ou filha única)
Remédio Amargo (viu? foi resistir ao aborto!)
Restos Mortais de Catarina (saravá)
Rolando Emídio da Torre da Igreja (a trepada foi alta)
Rolando Escadabaixo (isso é que é ser direto)
Sandália de Oliveira Silva(mas, qual a marca?)
Sete Chagas de Jesus e Salve Pátria (religioso pra cachorro)
Sebastião Salgado Doce (isso é que é ser insípido)
Sherlock Holmes da Silva (tai o que dá esses doidos ficar assistindo esses filmes ai)
Telesforo Veras (é o filhinho de papai, é?
Terebentina Terepenis (coitada, se acabou no pau kkkkkkkkkkkk)
Um Dois Três de Oliveira Quatro (porque a criatividade não é um bem ao alcance de todos)
Última Delícia do Casal Carvalho (tinha que ser você, nenem?)
Vercebúcio dos Santos (vai ter um nome desses no inferno)
Valdir Tirado Grosso (nascido na marra)
Vitória Carne e Osso (pensei que fosse só cartilagem)
Zabumba Andrade Andreis (se o diacho desse pai não for do Maranhão!!!)
Zélia Tocafundo Pinto (Oh minha filha, seu pai era de uma inspiração incrível)

Que todos tenham sido ao menos bonitos.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Os micos e o futuro do Lula


O lado brincalhão do Presidente Lula tem sido, sem dúvida, um marco a parte nestes seus 8 anos como mandatário maior da nossa nação. Às vezes se chega a confundir se o que ele está dizendo, é verdadeiro ou se trata apenas de mais uma piada, e as vezes, muitas de suas declarações vão além da imaginação, o que lhe confere um atributo de verdadeiro “miqueiro”. Já são tantos os micos que o presidente Lula tem pago, estando no comando do Brasil, seja dentro ou fora do País, quer ver?
Certa vez o presidente foi filmado numa viagem ao Rio Grande do Sul, fazendo uma piada polêmica, dizendo ao candidato do PT à prefeitura local, Fernando Marroni que: “Pelotas é exportadora de veados”.Hummmmmm!!! Que isso, companheiro???
Para mostrar sua vocação e apreço pelo gênero musical rock, em abril de 2007, quando recebia a banda mexicana RBD, na foto com os garotos, Lula quis pagar de rock star “tocando” guitarra. Se bem que poderiam criar o Lula roqueiro, afinal, é coisa que acontece nas melhores familias sertanejas. Lembram do Júnior Sandy? Apesar de ter se criado em um lar caipira, e começando a carreira sertaneja com o insuportável “abre a porta mariquinha”, ele se rebelou, e virou um roqueiro “nato”. rsrsrs
Também em 2007, num evento na FIFA, o Lula lançava esta “perola”: “o Brasil chorou quando Platini fez o gol de pênalti em 1986”. Êta memória porreta de errada! Na verdade, Platini (que estava no auditório e que deve ter ficado camarão torrado) foi o autor do gol que deu o empate a França, mas perdeu o pênalti, depois da prorrogação. Final de jogo: França 4 a 3, nas penalidades e o Brasil eliminado nas quartas de final.
Quer mais? E aquela: “esse é o cara!”, do Obama?? Visivelmente sem entender o que a autoridade americana tinha dito, Lula recorre imediatamente ao seu ministro das relações exteriores, Celso Amorim, puxando-o pelo paletó. Ao se inteirar da sentença obamesca, o presidente fica meio sem graça, mas muito envaidecido com o “elogio” do “companheiro”. Mas já imaginou se tivesse arrancado um botãodo pelaté do homi???
O apoio do presidente brasileiro a ditadores, também tem sido uma pagação de mico geral. Lembram daquela do Manoel Zelaya? Lula chegou a emprestar a embaixada brasileira para que o presidente deposto, além de morar nela fizesse ali seu QG, visando retomar o cargo que lhe havia sido legalmente tirado. Resultado: De modo pacífico e democrático, Honduras elegeu o seu novo presidente e o Lula, simplesmente pegou carona numa canoa furada. Que vergonha, presidente!
Mais recente, durante a cerimônia na África, em que a FIFA anunciava oficialmente o Brasil como a próxima sede do mundial de 2014, o presidente brasileiro novamente aparece com mais uma “daquelas” que já nos acostumamos, e que até já esperamos de seus discursos improvisados. Para jurar que o Brasil realizaria a melhor copa do Mundo, Lula atacou com esta pérola: "Se o Brasil não tiver condições, garanto que volto da África à nado". Deixa eu ver se entendi: caso a copa não aconteça a contento, o ex-presidente vai voltar lá, e dos mares africanos vem nadando até o Brasil? Tubarões, me mordam, diria o Popeye. Bom, se conseguir a proeza, certamente será o novo herói do mundo. Apesar de brasileiro, quero até que não seja a melhor copa. Rararararara.
E por último desta minha seleção, a do choro do presidente, durante entrevista exclusiva que concedeu à rede Record. O Lula se mostrava bastante emocionado, mas há quem diga que ali foi uma jogada de marketing pessoal. Saber é qual terá sido o real objetivo disso, né? Mas não vou fazer conjecturas. Agora tentar corrigir que não queria mais nada na política, isso foi um micão mesmo. Primeiro disse que não se candidataria a mais nada, logo veiocom aquela deculpa que a política é dinâmica, e que poderia, e tal, pegou muito mal... Foi, fez que foi, e acabou fondo. rsrsrs E a prova da cadeira, na mesma entrevita: de ficar sacudindo as pernas, pra justificar sua pequena estatura. Um macaquito. He He He He He

Fala-se muito sobre que barco o Lula vai tocar depois que deixar aquela cadeira presidencial. Ministro da Dilma? Secretário da ONU? Presidente do PT? Talvez, nenhum desses, mas certamente ele não ficará desempregado, porque, na pior das hipóteses, o Lula, ex-presidente poderá muito bem ocupar um horário no banco da Praça é Nossa, do zorra Total ou de qualquer outro humorístico da TV, se não quiser fazer seu próprio "Lula Show de Humor" que certamente fará os brasileiros soltarem muitas gargalhadas, e esquecer aquelas promessas que não passaram de devaneios.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Inspiração ou plágio


O mote publicitário "Sempre com você", usado há tempos pelo Banco do Brasil parece que tem servido, no mínimo, de inspiração a muitos marketeiros de São Luis em suas intenções de criar um conceito de campanha a um produto. Atualmente o slogan do BB promove pelo menos três marcas na capital maranhense, entre comércio, político e até na comunicação.

O supermercado Carone foi primeiro a aderir a frase: Carone. Sempre com você. Depois foi a vez da rádio Mirante AM, que ainda mantém no ar o mote de sua atual campanha: Mirante AM. Sempre com você. Pra completar, na política, o deputado e canditado a reeleição Afonso Manoel também entrou na onda do "Smpre com você".

Será se ta faltando frases no vocabulário dos nossos craques da propaganda e marketing? Ou será que ninguém tem mais tempo pra criar e daí é só pega as frases prontas dos outros, dependendo apenas daquelas que mais agradariam o cliente? Eu não quero acreditar mesmo é que seja falta de criatividade dos nossos profissionais.

Acho que ta na hora se repensar e praticar a essência da publicidade porque assim, tem gente jogando no lixo a nossa instituição. Neste exemplo, é pouco dizer que se trata de uma inspiração, mas plágio mesmo, descarado e sem pudor.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Educação do Maranhão: Vergonha Nacional


Que bela notícia nossos políticos tiveram nesta semana, em que o Inep divulga uma lista apontando as 20 piores Escolas do Brasil, onde só o Maranhão é dententor de 5 delas, ou seja, o campeão neste ranking de irresponsabilidades de nossos gestores.
De acordo com os dados do Enem 2009, divulgados pelo Ministério da Educação os cinco estabelecimentos modelos da rede estadual de ensino nesta lita de horrores, são os seguintes, pela ordem: Centro de Ensino Vicente Maia, São Luís (3ª pior); Centro de Ensino Profª Juvenilia Soares Sousa, Buriticupu (4ª pior); Centro de Ensino Cristino Pimenta – Anexo II, Bacuri (9ª pior); Centro de Ensino Livino de Sousa Resende – Anexo, Itaipava do Grajaú (12ª pior); e Centro de Ensino Bernardo Coelho de Almeida, São Luís (18ª pior).

Bonito mesmo só para os nossos governantes, que, embora esta seja a principal bandeira de seus míseros discursos de todo ano eleitoral, na verdade, ao se apossarem do poder, simplesmente passam a tratar a educação de nossa gente como um lixo, desrespeitando alunos, desvalorizando educadores, pisoteando os contribuintes, e dando banana à sociedade.
Aliás, essa realidade de descaso com a educação está estamapada aqui em São Luis, onde os professores da rede municipal estão de greve há mais de 60 dias, porque exigem um reajuste de 25,5%, percentual este referente ao repasse do Fundeb que seria incorporado ao salário do corpo docente, mas o prefeito João Castelo, tem se negando a repassar o que é de direto à categoria. O resultado está ai, alunos prejudicados, a prefeitura irredutível, avisando que não vai ressarcir as perdas dos professores nem que a vaca tussa e a secretaria Suely Tonial fiscalizando as escolas no sentido penalizar aos grevistas com o corte do ponto. Nada diferente do tratamento que recebe a educação em nível de Maranhão, que nos rendeu esse vergonhoso título de termos as piores escolas do Brasil.

E esses dados do Inep, certamente serão um prato cheio para aqueles que já estiveram, ou que estão tendo a oportunidade de mudar esses indicadores, e que só não o fizeram ou não o fazem, porque é muito melhor cultivar a ignorância da população a ter que elevar o conhecimento dessa gente, construindo-se uma população mais consiente. E ai veremos o ex-governador Zé Reinaldo com o belo discurso que conseguiu implantar o ensino médio em todos os 217 muncípios do Estado, coisa que a oligarquia nunca o fez em mais de 40 anos de domínio. Aí vem o governador cassado, Jackson Lago dizer, que gantiu a eficiência do ensino implantado pelo seu antessessor e que só não consegiu mudar porque foi lhe tirado o mandato. Ai vem a atual governadora, Roseana Sarney completar o discurso, esse resultado ai foi fruto da incompetência daqueles que me sucederam e maquearam a educação do meu Estado.
E ai vão vim as novas metas, mais um rol de propostas das mais indecorosas possíveis, que só idiota pra acreditar.
Por isso, é melhor mesmo que se mantanham a educação no nível que ai está para que se tenha sempre os famosos discursos de mudanças, que encantam aos ouvidos dos incautos.
Ah!! E pra que investir em educação??? Educar pra que? Só pra criar cobra pra depois nos engolir, sussurram entre si os nossos candidatos. Temos é que continuar investindo em nossa fábrica de fazer voto. E quanto a esses dados? Ah! Isso é marketing. Pelo menos estão falando do Maranhão. Falem mal, mas falem de mim. E deixa que do dinheiro dela eu sei onde e qm que aplicar.
Essa é a Educação do Maranhão, vergonha nacional, mas que vale tudo para tê-la nas mãos.

E para quem não comunga com essa coisa ridícula que estamos tendo o desprazer de acompanhar, nos resta como consolo o trecho da música "Perfeição" de Renato Russo: "Vamos celebrar a aberração/ De toda a nossa falta De bom senso/ Nosso descaso por educação/ Vamos celebrar o horror De tudo isto Com festa, velório e caixão/ Tá tudo morto e enterrado agora...". Fazer o que né amigos? Só lamentar.

CHUVA DE MACONHA


Que história mais louca, essa... Segunda-feira, 19 de junho será marcado como o dia que "choveu" maconha nos Estados Unidos... É sério...

Moradores da área rural de Greenville, ao nordeste de Dallas, no Texas, viram literalmente "chover" maconha sobre suas casas.
Para a rede de televisão CBS, a policia informou que a população relatou ter ouvido o barulho sobre os telhados. Assustados, quando os moradores saíam para ver o que se tratava, e ficavam pasmos ao recolherem sacos plásticos cheios de maconha.
A polícia passou a procurar, e econtrou uma aeronave de baixa altitude abandonada próximo ao areroporto da região. No interior do monomotor ainda foram encontrados alguns sacos da droga.

Podia ser um traficante revoltado com tanta dívida de seus consumidores. Resolveu doar o restante que ainda possuía, afinal já tava mesmo no preju!!!
Pode ter sido também um traficante, recém chegado na área, que ao perceber que ninguém consumia a droga, resolveu distrubuí-la gratuitamente, no intuito de prospectar um novo consumidores naquela região.
Mas também pode ter sido um acidente, a aeronave rodopiou no ar e caiu o bagulho, resultando no maior prejuizo dos malucos. Coisa dos States.

Agora, de qualquer que fosse a forma da queda, se esses saquinhos malditos caíssem por aqui, principalmente em regiões fumóficas, certamente ninguém ia avisar polícia coisa nenhuma. Isso ia ter era muita gente doidona!!! U-huuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!

segunda-feira, 19 de julho de 2010

O RÁDIO NO MARANHÃO - DO SURGIMENTO AOS NOSSOS DIAS


Embora correntes afirmem que a primeira transmissão de rádio no Brasil tenha ocorrido em 1919 em Recife, com a rádio Clube (até hoje no ar), a história registra que a irradiação radiofônica Oficial tupiniquim ocorreu em 7 de setembro de 1922 com as festividades, no Rio de Janeiro, em comemoração ao centenário da independência do Brasil, fato este que culminaria no ano seguinte com a inauguração da rádio Sociedade do Rio de Janeiro, a primeira do Brasil (idealizada por Roquett Pinto e Henrique Morize).
E assim como em nível de Brasil, a história radiofônica no Maranhão também tem nuances. A radiodifusão maranhense começa com as esperiências da rádio Sociedade Maranhense, idealizada por um cara chamado Joaquim Moreira Alves dos Santos, o Nhozinho Santos (nome que batiza o estádio municipal de São Luis), mas a primeira emissora a funcionar legalmente na capital foi a Difusora, inaugurada em 15 de agosto de 1940 pelo interventor Paulo Ramos. Vale frisar, que esta Difusora (que não é a mesma emissora atualmente da família Lobão), quatro ano mais tarde veio a se chamar Timbira (emissora Oficial do Estado, operando em 1290 kHz), por conta de um contrato de arrendamento feito por Assis Chateaubriand, dono dos Diários Associados e do maior conglomerado de veículos de comunicação do País, entre rádios e jornais, e que mais tarde viria a introduzir no Brasil a primeira Televisão, a Tupi do Rio.

Cerca de sete anos depois da primeira estação maranhense, outras emissoras são inauguradas em São Luís. A segunda é a rádio Ribamar (hoje rádio Capital AM controlada pelo deputado federal Roberto Rocha), operando em 1180 kHz, que iniciava suas atividades em 1947;
em 1955, entrava no ar a rádio Difusora AM (680), dos irmãos Bacelar (hoje em poder do senador Edson Lobão e arrendada para a igreja Universal do Reino de Deus);
em 1962 é inaugurada a rádio Gurupi do grupo Diários Associados (hoje rádio São Luís - 1340 kHz - do grupo Zildeni Falcão);
12 de junho de 1966 marca a chegada da rádio Educadora AM - 560 kHz - aos receptores dos maranhenses, de iniciativa da arquidiocese de São Luís e que traz em seu diferencial a ideologia de ser um canal de comunicação voltado para o homem do campo, em defesa dos menos favorecidos;
e em maio de 1988 entra no ar a rádio Mirante AM - 600 kHz, do grupo de comunicação pertencente à família Sarney.

Já no cenário das Frequências Moduladas, o Maranhão conhece o gênero no ano de 1979, quando era inaugurada a Difusora FM - 94,3 mHz, mais precisamente no dia 22 de agosto.
A segunda emissora neste segmento é a Mirante FM 96,1 que vai ao ar em 08 de novembro de 1981.
A rádio Cidade FM 99,1 mHz - fundada em 08 de setembro de 1983, nascia como mais um veículo de grupo de comunicação Vieira da Silva, que se junta à rádio Ribamar AM e TV Cidade.
A Universidade FM 106,9 mHz - é a quarta emissora a se instalar na capital maranhense, indo ao ar pela primeira vez em 21 de outubro de 1986. Idealizada para ser um veículo-laborátorio da UFMA, tendo como público alvo o alunado da instituição, tornou-se na verdade uma rádio competitiva no mercado, tendo boa aceitação também nos públicos alternativos que amam a boa música popular brasileira e maranhense.
Depois surgiram as Rádios: São Luís FM - 102,5 - mHz, do Grupo Zildeni Falcão, que à época já possuía a São Luís AM. Hoje retransmite a programação da rede Jovem Pan Sat 1 de São Paulo.
A Esperança, inaugurada em 1990 - 100,9 mHz - se destaca como a primeira emissora, do segmento gospel no Maranhão.
Já no final dos anos 90, surge a "Mais FM" - 99,9 mHz do grupo Nagib Haickel, esta, lançada com estilo de rádio popular, tendo em seu primeiro momento grande repercussão por sua retransmissão da rede SomZoom Sat de Fortaleza no Ceará, emissora especializada no estilo forró. Mais tarde é arrenda pela Alegria Produção do radialista Léo Felipe e mantém sua programação voltada ao segmento da música popular.
E fechando este cenário, a rádio União 105,5 mHz(arrendada a Igreja Universal com a sua rede Aleluia) e mais recente, a 92 FM, ambas também do grupo Nagib Haickel. A última também tendo seus equipamentos arrendados por um grupo de evangélicos que mantém no ar uma programação gospel.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Atacadão de problemas


Não que eu seja contra o desenvolvimento da Cidade em sua ampliação de mercado e concorrência, mas não dá pra entender como certas coisas acontecem livremente aqui por São Luis, sem um acompanhamento responsável do nosso poder público, como é o caso do funcionamento do Atacadão, recém inaugurado na tumultuada avenida Jerônimo de Albuquerque, por onde passam todos os tipos de conduções, entre veículos de pequeno porte, caminhões cargeuiros e ônibus, e até mesmo os teimosos carroceiros.
Se por um lado, o empreendimento representa uma opção a mais ao consumidor ludovicense, inclusive com rasas vantagens de compra, e em localização estratégica (que já conta com outros setores de grande movimento), além de representar vantagens econônicas ao município e ao Estado, por outro lado, vem acarretar mais um problema ao trânsito da capital, já que o mesmo se situa em um dos corredores mais complicados, principalmente em horário de pico. Com a mais nova atração comercial da cidade, aquela via se tornou mais que um caos, dada a constância de entra e sai de veículos no local. Sem alternativas para fugas naquela região, resta aos motoristas recorrerem a paciência e amarguarem longos períodos nos engarrafamentos, resultando em atrasos nos compromissos, e em se tratando de situação de emergência, salve-se quem puder.
Se antes já era complicado trafegar por ali em dias normais (apenas com uma melhora nos fins de semana), agora, a complicação é em qualquer dia, em qualquer horário, e ainda com os constantes acidentes pela via, o bom senso às vezes perde a razão. É algo parecido com a Avenida São Luis Rei de França, logo após o elevado da Cohab, onde, com a inauguração de mais um Shopping Center, se reabilitou o problema no tráfego de veículos, que parecia ter sido solucionado com o disciplinamento da via pela SMTT a pouco tempo.

Casos como esse que tem trazido danos aos motoristas de São Luis, mostra uma certa deficiência nos órgãos administrativos da cidade, que parecem não se preocupar com certas necessidades dos seus munícipes. No trânsito caótico que estamos tendo nos últimos anos, com o desenfreado crescimento no volume de veículos nas nossas ruas, permitir o funcionamento de um comércio de grande porte em uma das avenidas mais movimentadas e sem escoamento, é oferecer um atacadão de problemas aos condutores que precisam de mais fluidez e agilidade em seus deslocamentos. Pode-se dizer, portanto, que isto se trata no mínimo de uma irresponsabilidade dos nossos administradores, que antes de liberar um alvará desses, deveriam melhorar as condições destas vias para que o cidadão não viesse a sofrer tantos desgastes psiquicos e emocionais, ao se obrigar a vexames e perda de tempos preciosos em um trânsito completamente parado.